Apresentação – 5º Congresso de Fisioterapia Pélvica

banner-pages-portal-pelvica

5º Congresso Internacional Inspirar de Fisioterapia Pélvica - Uroginecologia Funcional

5º Post - IUGA - ICS de Fisioterapia Pélvica

5º Congresso ABFP- Associação Brasileira de Fisioterapia Pélvica

5º Congresso Abafi - Associação Brasileira de Formação em Incontinências Urinárias

1º Encontro de Ex-alunos do Curso Internacional em Maastricht

Dias 04 a 07 de Maio de 2017 - Curitiba/PR
 

Carta da Presidente Internacional do Congresso

Queridos colegas,

“A Gota de Ouro que precisamos cuidar”

Alguns ainda acham que a via excretora urinária serve simplesmente para conduzir a urina do rim a uretra, e reparar o erro de uma natureza imprevisível que colocou esses dois órgãos tão longe um do outro. Admite-se que o intestino seja longo, pois ele absorve, nutre e executa uma nobre função de eliminar os excrementos. Mas a via excretora urinária nada faria além de drenar a urina, sem nada mudar na sua composição. Mas esta sucessão de canais e reservatórios não desenvolveu ao acaso: ela funciona para nossa segurança e nosso conforto. Os 30 centímetros que separam o rim da bexiga permitem que os ureteres impulsionem ativamente a urina, protegendo os rins dos perigos exteriores, principalmente a hipertensão e a infecção. O surgimento da bexiga substituiu uma secreção lenta e contínua por uma evacuação massiva e breve, mais confortável. Algumas espécies aprenderam a controlar, reter e expulsar a urina inclusive sob comando, e não somente para aliviar uma necessidade momentânea. A bexiga adquiriu um papel social.

Sabe-se que o cão macho marca seu território molhando tudo o que é vertical, reconhecendo tão bem sua própria urina que não faz duas vezes no mesmo lugar, a não ser que um outro macho venha camuflar sua marca. O gato macho, pelo odor de sua urina, aproxima suas conquistas amorosas, assim como os rinocerontes anunciam seus ataques urinando, e certos macacos, pendurados nas árvores, agridem seus inimigos no chão dirigindo a eles um jato de urina. Para se defender, o Homem concebeu dois jogos menos inofensivos: em certas tribos nômades, existe o hábito de urinar ao redor de seus acampamentos, enquanto caçadores de lobos fazem um círculo de urina na zona de tiro para afastar os ataques do animal, e alguns jardineiros protegem as rosas da agressão dos gatos e cachorros também com urina. Concluímos assim que a função vésico-esfincteriana é então a função visceral mais inteligente e, por consequência, a psicologicamente mais vulnerável. O título deste Congresso foi minha inspiração para homenagear o maravilhoso texto do Dr. Buzelin "Uma via excretora urinária: para fazer o quê?", um francês que, quando viveu, marcou nossa história e tratou a gota de urina como ela deve ser tratada, como se fosse ouro. Neste Congresso veremos a gota que vale ouro nos diversos ciclos da vida de um ser humano ...proporcionando saber, sensibilidade e sobretudo qualidade de vida para aqueles que tratamos. Sejam bem-vindos ao Congresso mais famoso do Brasil quando se fala em tratamento multidisciplinar da incontinência Urinária e de todas as outras disfunções pélvicas.

Com carinho,

Drª Maura Seleme/ Presidente do Congresso

  • Doutora pela UFRJ
  • Coordenadora do Curso de Fisioterapia Pélvica – Faculdade Inspirar
  • Diploma de Fisioterapia - Brasil, França e Holanda
  • Fisioterapeuta Pélvica na Holanda com título de Especialização reconhecido
  • Diploma Universitário em Fisioterapia Uroginecológica – França
  • Embaixadora do IUGA no Brasil- Setor Fisioterapia
  • Presidente da ABFP
  • Presidente da abafi-BRASIL e da abafi-HOLLAND

REALIZAÇÃO:

logos-realizacao2abafi      ABFP   5

APOIO:
ics IUGA_Logo
 logo-crefito-13-curvas  whatsapp-image-2017-01-23-at-11-28-04-am
   logo-sokap 11130266_1100499896646344_6146683007141305163_n
 foto  imagens_galeria-3239